Relatório prevê significativo crescimento de construções verdes até 2024

Tempo de leitura: 4 minutos

O fomento de construções sustentáveis ao redor do mundo caminha em paralelo ao crescente compromisso dos profissionais do setor com esse tipo de projeto. O relatório World Green Building Trends 2021 apresentou um cenário atual e futuro em que as construções verdes seguem entre as prioridades da indústria global. Saiba mais a seguir sobre os detalhes da pesquisa.

4º World Green Building Trends

A iniciativa World Green Building Trends é realizada pelo World Green Building Council (WGBC) e tem contribuição do U.S. GBC (USGBC) – organização responsável pela consagrada Certificação GBC. A quarta edição do relatório incluiu 79 países em todo o mundo e envolveu mais de 1.200 profissionais do setor, entre consultores, engenheiros, empreiteiros, designers, arquitetos e investidores.

O estudo apresentou crescentes esforços dos agentes da indústria para o aumento de estratégias voltadas às construções verdes, que cada vez mais têm sido vistas como ferramentas para o desenvolvimento socioambiental e econômico. Alguns dos principais dados levantados no documento foram:

– Entre os profissionais consultados, 42% preveem que nos próximos três anos a maior parte de seus projetos poderá ser classificada como construções verdes. Atualmente, esse percentual de profissionais é de 28% – ou seja, deve haver um aumento de 50%.

– A redução de custos operacionais foi apontada por 66% dos participantes como o maior benefício das construções ecológicas. A mesma porcentagem de pessoas citou a queda do consumo energético como o mais importante motivador ambiental das construções verdes.

– Mais da metade dos profissionais que estão desenvolvendo construções sustentáveis planeja incorporar estratégias de arquitetura e construção resiliente aos seus projetos nos próximos cinco anos.

– Ao redor do mundo, 79% dos envolvidos na construção verde utilizam ao menos uma métrica para monitorar o desempenho do projeto – dado que avançou 5 pontos em comparação com a avaliação do relatório de 2018.

– Entre os participantes do estudo, em especial arquitetos e engenheiros, 82% declararam ao menos ter ciência sobre o conceito de carbono incorporado nos materiais de construção, ou seja, o impacto da emissão de carbono proveniente do ciclo de vida e produção dos materiais, incluindo os processos de fabricação e descarte.

Leia mais sobre o uso sustentável de materiais na construção civil

Impactos e reflexos das construções verdes

Impactos e reflexos das construções verdes

A mitigação dos impactos ambientais é a principal missão do segmento da construção sustentável, um objetivo fundamental que envolve efeitos para o contexto socioambiental e econômico como um todo. Entre os benefícios das reduções de danos promovidas por essas construções está a queda das emissões de carbono e do consumo de água e energia.

A criação de Zero Energy Buildings destaca-se como uma das estratégias prioritárias citadas pelos profissionais entrevistados para reduzir a pegada de carbono e o consumo energético na construção civil, minimizando, consequentemente, os efeitos das mudanças climáticas.

Esse conceito é traduzido ao português como Edifícios de Energia Zero e se refere a construções cujo consumo energético total no período de um ano é atendido pela energia renovável gerada no próprio projeto.

O relatório World Green Building Trends constatou que a redução média dos custos operacionais de um edifício verde novo em seu primeiro ano é de 10,5%. Em cinco anos, a economia de gastos é de 16,9%. Por sua vez, estratégias de renovação e retrofit verde registraram, respectivamente, um aumento de desempenho de 11,5% e 17%.

Construções sustentáveis em Curitiba

Propósito sustentável dos imóveis da Construtora JN
RUA HERMES FONTES – CASA BATEL

Na capital paranaense, imóveis comprometidos com o propósito sustentável de ampliar a eficiência e resiliência das construções geram inúmeros benefícios não só para o setor da construção civil como também para o meio ambiente de forma geral.

Na charmosa Rua Hermes Fontes, o icônico Casa Batel irá se destacar como o primeiro empreendimento de Curitiba certificado com o selo GBC Condomínio nível Platinum. Algumas das estratégias sustentáveis de seu projeto são o consumo energético consciente, a redução da emissão de CO2, o paisagismo com irrigação e a implantação de pontos para carregamento de veículos elétricos que incentivam a mobilidade sustentável.

Já no A.I.R. Cabral, residencial localizado na quadra mais verde do bairro Cabral, o selo GBC Condomínio irá atestar importantes práticas sustentáveis como o reúso da água da chuva, o uso de materiais com baixo impacto ambiental, a gestão e o descarte adequado de resíduos e o uso de madeira legalizada nas obras.

Com a adoção de inúmeras iniciativas sustentáveis, contemplando todas as fases de seus projetos, a Construtora JN se coloca no mercado da construção civil e da incorporação imobiliária como uma empresa que colabora para o desenvolvimento sustentável e a preservação do futuro das próximas gerações.

Leia mais: Imóveis de alto padrão e sustentáveis seguem em ascensão

Fonte: USGBC, Business Wire e Facility Executive

compartilhar no facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.